21 de junho de 2014

Nunca é tarde para tirar alguns blocos de cima dos ombros...

Já faz alguns anos que estou eliminando papéis... Ao longo de 7 anos fui praticando o desapego de algumas coisas e isso é muito bom porque a gente envelhece e se modifica, com isso algumas coisas acabam não sendo tão importantes como antes.

Eu já doei metade dos meus discos, muitos livros, eliminei relatos desnecessários e hoje posso me considerar apenas com "a roupa do corpo" e a sensação é muito boa.

Guardar vestígios de uma vida toda é demais, isso com um tempo pesa. É engraçado porque eu sempre tenho algo para descartar, não acaba, sempre tem alguma coisa, basta cutucar. E hoje eu decidi me livrar de mais coisas: filmes fotográficos já revelados e uma pasta de anotações.

Fiquei perplexa de ver a quantidade!!!
Em 2007, eu rasguei muitas fotos, eu havia decidido não ficar com nada que me remetesse a algum tipo de dor, então eu acabei eliminando várias para poder seguir em frente e grande maioria desses filmes era dessas fotos que eu não tenho mais. Então pra que guardar??? Pronto, lixo!

2000 a 2009 - lixo, lixo, lixo!!!
A pasta de anotações era sobre assuntos que eu anotava sobre o R.E.M. e tudo relacionado à banda. Comecei em 1991 e decidi parar no início de 1995. Eu anotava tudo, eu era uma máquina ambulante.

09/08/91 - O início
Era bacana, eu ficava sabendo de muita coisa legal, mas admito que na maior parte do tempo era torturante! Naquela época tinha lá seu valor pra mim, se eu guardei tudo isso por tanto tempo foi por respeito a todo o meu empenho, mas em tempos de desapego, lixo...

690 anotações - 02/01/95 - O fim
Não foi fácil destruir mais de três anos em cinco minutos. Doeu? Doeu. Mas eu realmente não preciso mais disso, então pra que guardar? Eu não preciso mostrar nada pra ninguém, preciso? N-Ã-O. Chega!!!

A Luciana jovem carrego no íntimo, não preciso mais dessas
anotações para me lembrar dela...