9 de maio de 2014

Após 8 anos continua sendo uma paixão fulminante!!!

No ano de 2006, do dia 10 a 18 de junho, foi realizada a Oficina de audiovisual Kinoforum na Casa do Zezinho, situada no Parque Santo Antonio, zona sul de São Paulo. E eu fui uma das contempladas em participar.


Eu tive conhecimento das Oficinas por meio de um amigo da faculdade, William Ribeiro, e quis muito participar por ser um projeto que dá oportunidade a jovens da periferia de ter contato com o mundo audiovisual, ensinando desde a elaboração de um roteiro, passando por produção e finalização dos vídeos.

Na época eu cursava a faculdade de Rádio & TV e achei maravilhosa essa chance de aprender tudo na prática porque na faculdade a prática fica em segundo plano.

O módulo I é muito rápido e dinâmico, em uma semana temos aulas e já vamos para a rua para fazer captação de imagens. E a semana encerra-se com a edição de um curta. Sob a supervisão de profissionais, os jovens moldam suas ideias em cima de um roteiro e vão atrás das imagens.

"Eu queria ser um jogador de futebol!"
Meu grupo foi formado com uma ideia em comum, aproveitar a Copa do Mundo que acontecia naquele mês. Cada um tinha em mente uma história e após a junção começava a nascer "Paixão Fulminante". Minha contribuição no roteiro foi a parte do menino que queria jogar no campo de terra junto com os meninos mais velhos e é ignorado.

Eu me lembro bem daquela semana, foi super intensa. As filmagens do curta nos levaram para os lugares mais contraditórios. Percorremos becos e vielas atrás de um bar para captar a reação dos torcedores em pleno dia de jogo, até que nos deparamos com um lugar bem bacana no Parque Arariba e lá ficamos, armamos os equipamentos e torcemos para ser um super jogo! Tinha tudo para ser um fiasco caso o Brasil perdesse, mas para nossa alegria o Brasil ganhou do Japão de 4x1. E nós registramos tudo, tudinho!!!


"Paixão Fulminante" é importante porque foi o primeiro curta das Oficinas Kinoforum a abordar o futebol, um tema tão comum aqui no Brasil. E eu mesmo não gostando de futebol, admito que me rendi a toda àquela loucura e ter visto o curta pronto, foi emocionante. Pela primeira vez eu estava vendo um roteiro ganhar vida exatamente da maneira como eu imaginava, porque na faculdade isso não acontecia. Esse foi um dos grandes problemas da faculdade de Comunicação, a falta de oportunidade em dar vida a roteiros sem interferência de terceiros.

Faz 8 anos que tudo isso aconteceu. E é gostoso me lembrar de tudo aquilo... Foi um período curto, mas muito bom!!!

Rafael queria filmar no Vale do Anhangabaú, mas acabamos no Parque Arariba mesmo!!!
A equipe de alunos do curta: Jaqueline Ramos da Silva, Izabela Machado Alves de Lima, Rafael Rocha dos Santos, Vitor Calazans e eu, Luciana Paulino da Silva.