12 de outubro de 2013

"Step by step, uhhh baby!!!"


Nos clipes eles arrasavam...
Sabe, tem coisas na vida que são simplesmente essenciais para o nosso desenvolvimento. Já conheci muitas pessoas que sentem vergonha de certas etapas em suas vidas e acabam omitindo certas situações, elas não entendem que não há nada de errado em ter vivido algo ridículo, mal sabem elas que o ridículo pode ser muito construtivo.

Um belo exemplo é o início da adolescência, ali bem no finalzinho da infância quando a gente começa a gostar daquelas bandas entituladas Boys Band. Eu entrei na adolescência no início dos anos 90 e junto com ela uns garotos novos davam o ar de suas graças nas rádios e programas de vídeo clipes (saudoso Clip Trip com Beto Rivera).

Quem estava chegando na puberdade naquela época deve se lembrar com certeza dos New Kids on the Block, os cinco garotos de Boston, que dançavam, rebolavam e cantavam (ou dublavam, sei lá) com muita perfeição. Claro, seguindo a fórmula de sucesso tinha tipos para todos os gostos:

esq pra dir: Donnie, Danny (frente), Jonathan, Joe e Jordan
Donnie Wahlberg - o tipo bad boy com roupas rasgadas e mal encarado;
Danny Wood - o fortinho, bombadão, cheio de amor pra dar.
Jonathan Knight - o tímido, acanhado, ui;
Joe McIntyre - o cara de bebê que ainda usa fralda e chupeta;
Jordan Knight - o carismático, pau pra toda obra;

Senhoras e senhores, os novos meninos do quarteirão. E toda garota que se preza (se prezava) tinha um preferido. Me lembro que o Jordan e o Joe eram os mais populares, eu gostava do mais feio, talvez pra evitar a concorrência, o Danny (tô começando a ficar com vergonha de admitir isso aqui!), mas eu preferia dizer na escola que eu gostava do Jordan e ficava tudo certo.

Danny, o bombadão!
Claro que há uns anos eles tentaram um retorno, acredito que pra conquistar uma graninha né? Afinal ser membro de boys band é muito complicado porque é uma carreira com data para acabar, as bandas não conseguem se manter por muito tempo e o din din também acaba...

Me lembro que deixei de gostar deles logo após o Rock in Rio II, em 1991. O show deles foi tão fraco, dançaram tão mal, até o Beto Rivera tirou sarro dizendo que eles tinham comido feijoada com caipirinha (sacanagem!!!) e todos estavam tendo um piriri... Apesar dos pesares, eu não tenho vergonha de dizer que fui fã com direito a pasta com pôsteres e álbum de figurinha, foi bom enquanto durou e ainda bem, foi um período bem curto, curto mesmo!

O tempo passa até para as Boys Bands...